13/03/2012

Gessoterapia - Riscos e Benefícios Ainda Dividem Especialistas


Corpo torneado, sem celulite e nem flacidez. O mercado da beleza está cheio de novidades que prometem renovar o corpo da mulher. Uma delas é o gesso lipolítico - também conhecido como lipogessada ou gessoterapia -, um método que consiste na aplicação de oligoelementos (substâncias inteligentes) sobre a pele para combater, no corpo, celulite, gordura localizada e flacidez e, no rosto, rugas e linhas de expressão.

Encontrado em pó para aplicação caseira ou já pronto e comercializado em ataduras, o gesso lipolítico tem princípios ativos diferentes para agir nas diversas áreas do corpo. Entre os componentes da fórmula pode-se citar a cafeína, que age na redução das medidas e melhora a circulação; a elastina, capaz de devolver a elasticidade ao tecido humano; e a lama negra, que elimina líquidos e toxinas. Mas não para por aí. Há, ainda, gessos com enzimas de abacaxi, acerola, cânfora e mentol, todos com a promessa de acabar com a gordura corporal e a flacidez.

Os compostos do gesso são fabricados com centella asiática, erva que estimula a circulação sanguínea e limpa o organismo. Em clínicas estéticas, a média de preço para aplicação do produto chega a R$ 180 por sessão. De acordo com Nilza Bittencourt, esteticista e proprietária da clínica de estética You Lounge Hair & Spa, em Pinheiros, o produto, além de melhorar o aspecto da derme e a circulação sanguínea, hidrata profundamente a cútis. “Ele faz uma esfoliação do tecido para depois reduzir as medidas ou tratar as imperfeições", diz Nilza.

A esteticista explica que, em média, o gesso fica em contato com a pele de uma a três horas. Além das pernas, ele pode ser aplicado também no rosto, contra o envelhecimento. A explicação é a de que o gesso faz uma limpeza profunda, hidrata e suaviza as linhas de expressão. Mas há contraindicações. Gestantes e mulheres com lesões na pele não podem utilizá-lo.

Uso questionável
Embora tanto o produto quanto o tratamento sejam regulamentados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e amplamente difundidos no País, Isabel Martinez, dermatologista (CRM-SP 115398) membro da Sociedade Internacional de Dermatologia e da Sociedade Americana de Laser e Cirurgia, alerta que o procedimento pode oferecer riscos à saúde: “O método não tem base científica, portanto, não sabemos quais as consequências do uso por tempo indeterminado”.

Vale lembrar que, mesmo quem atesta sua eficácia defende que, para um melhor resultado, é recomendável controlar a alimentação e fazer atividade física regularmente. Isso significa que, sozinho, o gesso também não faz milagre.

FICHA TÉCNICA
Nome do tratamento: gesso lipolítico, lipogessada ou gessoterapia
Indicação: reduz as medidas e aumenta a circulação sanguínea do corpo. No rosto, ainda combate rugas e linhas de expressão
Preço médio: até R$ 180 por sessão
Sessões necessárias: entre duas e três sessões por semana
Benefícios: hidratação profunda da pele e diminuição da gordura

Fonte: terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário